Domingo II do Advento- ano B - 10 de dezembro de 2017


1 – «Concedei, Deus omnipotente e misericordioso, que os cuidados deste mundo não sejam obstáculo para caminharmos generosamente ao encontro de Cristo, mas que a sabedoria do alto nos leve a participar no esplendor da sua glória».

A primeira oração da Eucaristia, deste 2.º Domingo do Advento, faz-nos voltar o olhar, o coração e a vida para o Senhor nosso Deus, pedindo a sabedoria para caminharmos ao encontro de Jesus, apesar das adversidades e contratempos do mundo em que vivemos.

Vigiai. Era a palavra-chave que escutámos há oito dias. Hoje a palavra-chave é PREPARAI, preparai o caminho do Senhor. É-nos servido o início do Evangelho de São Marcos que nos remete para Isaías, trazendo a promessa de Deus ao Seu povo. Ele enviará um mensageiro na frente para preparar o caminho d'Aquele que há ser enviado para nos trazer a salvação.

João Batista é a voz que no deserto proclama um batismo de penitência para a remissão dos pecados. Ele é voz da Palavra que está a chegar. Para que a Palavra Se seja percetível é urgente que a voz provoque os ouvidos e sobretudo os corações. Demasiada cera pode ser impeditivo de uma boa audição, um coração empedrado terá dificuldade em acolher e em amar Aquele que vem.

É tempo de preparar o caminho, o coração, a vida. Como víamos, esta é uma espera pró ativa, que nos compromete com o tempo presente, com o mundo atual, com as pessoas que estão ao nosso lado e caminham connosco.

A vida progride, não é possível permanecer estática, imóvel, indiferente. O movimento é essencial. A água de uma fonte, de um riacho, de um lago que não é renovada, acabará por se tornar imprópria para consumo, pela acumulação de bactérias e micróbios. Um caminho que não é limpo acabará por ficar intransitável ou pelo menos mais estreito e/ou com mais obstáculos. Se é um caminho muito usado, as pegadas e os rodados pisam as ervas que ameaçam nascer e crescer. Pedras que caiam ou silvas que despontam sempre se vão tirando. Mas de vez enquanto é necessário fazer uma limpeza mais a fundo, para que o caminho volte a ser caminho. E se por ele tiver que passar alguém especial então o cuidado será maior. Se uma caminho deixa de ser usado pouco a pouco torna-se intransitável.

Está a chegar Jesus, Alguém que nos é muito caro, muito especial, então há que preparar bem o caminho da nossa vida para Ele passar e permanecer em nós. As famílias estavam habituadas no Natal e sobretudo na Páscoa a fazer uma limpeza a fundo nas casas – as barrelas – e nas ruas. É esta a preparação a que São João nos desafia.

 

2 – Na primeira Leitura, a voz é a do Profeta. Isaías é uma das figuras do Advento. Com alguns séculos de avanço, Isaías anuncia a chegada do Emanuel, «eis o vosso Deus. O Senhor Deus vem com poder, o seu braço dominará. Com Ele vem o seu prémio, precede-O a sua recompensa. Como um pastor apascentará o seu rebanho e reunirá os animais dispersos; tomará os cordeiros em seus braços, conduzirá as ovelhas ao seu descanso». O poder de Deus far-se-á serviço, pois não vem para impor e dominar, mas como Pastor para congregar.

Os tempos de treva e dispersão não durarão para sempre. "Consolai, consolai o meu povo, diz o vosso Deus. Falai ao coração de Jerusalém e dizei-lhe em alta voz que terminaram os seus trabalhos e está perdoada a sua culpa..." Já se vislumbra no horizonte uma luz a despontar como aurora, uma voz que clama tão forte que não podemos não escutar: «Preparai no deserto o caminho do Senhor, abri na estepe uma estrada para o nosso Deus. Sejam alteados todos os vales e abatidos os montes e as colinas; endireitem-se os caminhos tortuosos e aplanem-se as veredas escarpadas. Então se manifestará a glória do Senhor e todo o homem verá a sua magnificência, porque a boca do Senhor falou».

Se Ele vem, se está próxima a Sua chegada, como é que vamos recebê-l’O? Como é que nos vamos preparar? Como é que traduzimos o convite da palavra de Deus?

 

3 – Está para chegar Alguém importantíssimo, Alguém que irrompe dos Céus para habitar a terra e sobretudo fazer habitação em nós! De condição divina, por vontade do Pai, por ação do Espírito Santo, abaixar-Se-á ao ponto de Se tornar um de nós.

A nossa grandeza há de ser o reflexo da grandeza de Deus, pelo que é na pequenez, na humildade e no abaixamento que deixamos que Deus seja visto em nós como num espelho. "A minha alma engrandece o Senhor". Palavras de Maria que sublinham como a grandeza de Deus Se revela através da humilde serva do Senhor. Isso mesmo foi colocado em evidência por Joseph Ratzinger, futuro Bento XVI, não é Maria que torna Deus maior, mas Ela deixa que Deus Se mostre. Isso mesmo nos é pedido. Parafraseando Santo Agostinho, o nosso egoísmo faz-nos crescer ao ponto de nos entrepormos entre Deus e os outros. A nossa opacidade não permite que os outros vejam em nós ou através de nós. A humildade torna-nos transparentes e, por conseguinte, Deus será visível em nós e para os outros.

Vejamos como São João Batista aponta para Aquele que há de vir em glória e poder. «Vai chegar depois de mim quem é mais forte do que eu, diante do qual eu não sou digno de me inclinar para desatar as correias das suas sandálias. Eu batizo-vos na água, mas Ele batizar-vos-á no Espírito Santo»

Preparar o caminho do Senhor também é isto: treinar a humildade, a capacidade para transparecer Jesus, testemunhar Jesus, deixar que Jesus fale em nós e através de nós, não nos tornamos opacos de tal que não se veja além de nós, como se fôssemos o centro do mundo. O nosso centro é Jesus e o Seu Evangelho de amor, de perdão e de serviço. Cabe-nos afeiçoar-nos a Ele, tomarmos as Suas feições, para que quem nos veja possa encontrá-l'O. Quem Me vê, vê o Pai, diz-nos Jesus. Possamos nós dizer que quem nos vê, vê Jesus.

 

4 – São Pedro era um simples pescador quando foi encontrado por Jesus. Rude e simples. Tão simples que dizia tudo o que lhe dava na real gana, o que lhe vinha à cabeça. A sua espontaneidade deixou-o algumas vezes em maus lençóis, merecendo recados duros da parte de Jesus. A rudeza teve de ser limada para se tornar simplicidade, abertura, disponibilidade para acolher a vontade de Deus e não para impor a sua. Jesus prepara-o, leva-o a perceber que o reino de Deus não será dos violentos, dos fortes, dos maiores, dos poderosos. O reino de Deus, relembra a Pedro e nós também, será dos pequeninos, pois o próprio Deus, em Jesus, Se fez pequeno, pobre, frágil, ao ponto de Se deixar matar! Pedro levará tempo a ser humilde como uma criança. Terá que engolir o orgulho, e largar o rei que traz na barriga, para visualizar o rosto e a presença do Mestre.

A sabedoria e a humildade de Pedro são percetíveis nesta epístola. Ele deixa que o Espírito Santo o inspire, o ilumine e o constitua como verdadeiro discípulo missionário. Com a morte, ressurreição e ascensão ao Céu, a missão de Jesus é assumida pelos Seus apóstolos, com a tarefa de difundirem a Boa Notícia da salvação, com a mesma alegria e abrangência, começando pela preferência para com os mais pequeninos, pois identificar-nos com eles e ajudá-los é identificarmos com Jesus e d'Ele cuidarmos.

As dúvidas de Pedro e as suas hesitações são agora firmeza, fidelidade e anúncio alegre. "Um dia diante do Senhor é como mil anos e mil anos como um dia. O Senhor não tardará em cumprir a sua promessa, como pensam alguns. Mas usa de paciência para convosco e não quer que ninguém pereça, mas que todos possam arrepender-se"

Novamente o "Dia do Senhor", o dia em que o Senhor virá, com glória e poder, para julgar. Esse dia chegará como um ladrão, pelo que nos cabe preparar-nos. Já sabemos que vem, então não adormeçamos, não nos distraiamos. À paciência e misericórdia de Deus devemos corresponder com o nosso empenho. «Nós esperamos, segundo a promessa do Senhor, os novos céus e a nova terra, onde habitará a justiça. Portanto, caríssimos, enquanto esperais tudo isto, empenhai-vos, sem pecado nem motivo algum de censura, para que o Senhor vos encontre na paz».

Deus quer que vivamos, quer salvar-nos. A mim. A ti. A nós. A todos!

 

Pe. Manuel Gonçalves

___________________________

Textos para a Eucaristia (B): Is 40, 1-5. 9-11; Sl 84 (85); 2 Pedro 3, 8-14; Mc 1, 1-8.


Todos os direitos reservados © PARÓQUIA DE TABUAÇO 2017 Realizado por Terra das Ideias