Paróquia de Santa Eufémia de Pinheiros


Pinheiros, como Freguesia, engloba Pinheiros e Carrazedo, uma só freguesia, duas paróquias. Tem como interesse turístico o Cabeço das Pombas, com figuras rupestres, o seu Pelourinho, na praça, e, como momento mais importante da vida da comunidade, a romaria de Santa Eufémia.

Os Censos 2001 mostram 199 cidadãos, população residente; 71 famílias clássicas, e 151 edifícios. Tem 8,21 Km2, de área, e a densidade populacional é de 24,2 hab/Km2.

Pelos CENSOS 2011, verifica-se o decréscimo da população, registando-se 178 residentes, sendo 88 do sexo masculino e 90 do sexo feminino, distribuindo-se por 75 famílias clássicas.

HISTÓRIA

A povoação de Pinheiros é das mais antigas do Concelho, cujo Cabeço das Pombas materializa tal convicação. Teve foral novo, dado por D. Manuel I, em Lisboa, a 13 de Julho de 1514. Terá sido vila e sede concelho, sendo anexado ao antigo Concelho de Barcos, extinto pelos decretos de 10 de Outubro de 1844, e de 24 de Outubro de 1855. Nessa altura passou a pertencer ao Concelho de Tabuaço.

Pinheiros, sede de "Concelho", existente no século XV, emglobou a sede e Carrazedo, também Vale de Figueira. Foi extinto em 1834.

Como paróquia, era anexa de Santa Maria do Sabroso, desde o século XIV. Essa pertença está documentada também no século XVII. O pároco de então, Pe. Manuel da Cruz, em 1758, confirma a sede paroquial em Santa Maria do Sabroso, onde o pároco de Pinheiros vai celebrar Missa. Numa relação do século XVIII, verifica-se que a Paróquia de Pinheiros e a Paróquia de Carrazedo, se deslocavam em festa ao Sabroso, no dia de Santa Cruz.

Nos fins do século, Pinheiros sob curato do reitor de Barcos e mais tarde, 1862, das freiras do convento do Coração de Jesus, em Lisboa.

A padroeira, inicialmente, foi Santa Maria (do Sabroso), passando depois a ser Nossa Senhora da Conceição e, de seguida, Santa Eufémia.

A Igreja Paroquial sofreu uma intervenção de fundo, no século XVIII (1719), sobre outra edificação já existente. O altar-mor é também deste século XVIII, em talha dourada da Renascença. O tecto da capela mor é formado por 20 caixotões. Tem duas torres sineiras. A imagem de Santa Eufémia, muito antiga, tem cerca de 80 cm de altura.

Em 2003, sofreu obras de restauro e conservação, com intervenção na estrutura, reforçada, com novo telhado, novo tecto, alargamento da Igreja com uma capela lateral, onde se encontra o baptistério e a imagem de Santa Bábara, e que anteriormente era espaço de arrumação e de passagem para a sacristia.

Imagens à veneração: no altar-mo encontramos Nossa senhora do Rosário, do lado esquerdo de quem entra, e São José, do outro lado. Nos altares laterais do transepto, Santa Eufémia, do lado esquerdo e o Sagrado Coração de Jesus. Nas peanhas individuais, na parede do lado esquerdo, Nossa Senhora de Fátima, e do lado direito, Santo António e São Sebastião. no Baptistério, a imagem de Santa Bárbara, a imagem do Menino Jesus, uma imagem miniatura de Nossa Senhora, e dois Anjos (Querubins). A rematar o arco cruzeiro, a imagem de São Miguel.

No altar-mor, encontra-se duas pinturas murais, sobre a paixão de Jesus.

Padroeira: Santa Eufémia.

Festa: em honra de Santa Eufémia e de Santa Bárbara, nos dias 16 e 17 de Setembro. Com esta festa encerram-se as festas do Concelho de Tabuaço.

Património Imóvel: Igreja Paroquial; Centro Paroquial; Capela de Santa Bárbara; alguns terrenos.


Todos os direitos reservados © PARÓQUIA DE TABUAÇO 2017 Realizado por Terra das Ideias